Player

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Respirando cinema e consciência ambiental.

Por Marcos Aurélio.
siga @marc0snobrejr

È satisfatória o momento em que Porto Velho vive, principalmente para os produtores e amantes da sétima arte. Dês de segunda-feira (8) ta rolando o curso de desenho de som e captação de áudio para filmes e vídeos ministrado pelo CANNE – Centro Audiovisual Norte e Nordeste. A sala de aula lotada, mostra o interesse do segmento em se qualificar e dar qualidade para suas produções.


Outro evento que tem mobilizado boa parte dos portovelhense interessados em cultura e na oportunidade de conhecer os mais diversos filmes, documentários e vídeos que abordam a temáticas ambiental. O FestCine Amazônia chega em sua 8° edição sendo um dos festivais latino americano de maior aceitação do publico em geral, além de amostra de filmes nas mais diversas categorias como: Ficção, Documentários, Animação, Experimental, Vídeo reportagem e ambiental. O Festival exibe e pensa o meio ambiente, não somente através da produção independente de trabalhos audiovisuais. É um espaço de várias cenas e um objetivo comum: colocar a arte e a técnica da sétima arte a serviço da preservação da natureza e da sustentabilidade da vida no planeta.

A produção teve um cuidado especial com a programação do evento, tornando ele acessível para todas as pessoas, e diversificando ao máximo suas frentes de atuação

Durante os dias 00 a 13 de novembro, o FestCine Amazônia proporcionou a Mostra Competitiva – filmes e vídeos selecionados de todo país, por comissão de renomados jurados atuantes no cinema brasileiro e que concorrem ao Troféu Mapinguari;




Mostra de Filmes Convidados – são produções cinematográficas de grande importância para o cinema nacional e mundial focados nas temáticas anuais do Festival;

Mostra Paralela – exibição de todos os trabalhos enviados para o FESTCINE AMAZÔNIA;
Cinema no Circo – sessões realizadas dentro de tenda de circo, com sessões intercaladas com apresentações circenses;

A Escola Vai ao Cinema – oportunidade em que as escolas da rede publica do ensino fundamental e médio assistem aos vídeos e filmes do FESTCINE AMAZÔNIA em salas de cinema;

Cinema nos Bairros – visando a popularização do cinema brasileiro e estimulando e valorizando a produção local de trabalhos, o FESTCINE AMAZÔNIA realiza sessões em 04 bairros distintos da capital;

Cinema nos Terreiros – pensando na diversidade cultural existente o FESTCINE AMAZÔNIA promove sessões em terreiros de camdomblé e umbanda da cidade;

Mesa Redonda e Debates – espaço dedicado aos estudantes e universitários, intelectuais e profissionais do cinema, onde ocorrem discussões e reflexões sobre temáticas de interesse geral;

Oficinas de Direção e Produção de Vídeos – ocorrem durante todos os dias de evento voltados para profissionais da área e estudantes de comunicação em parceria com a Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura – CTAV, Anima Mundi e IBM.

Cinema no Beiradão – visando levar a sétima arte para populações tradicionais e ribeirinhas que vivem ás margens dos rios Amazônicos e que nunca tiveram acesso a uma sala de cinema, assim é que o Festival é realizado junto ao Beiradão, expressão essa utilizada nessa região que designa as comunidades que vivem junto aos rios.

Mostra Arco Íris - realizada com o objetivo de levar ao público em geral discussões através da sétima arte sobre diversidade sexual, especialmente, num momento que se discute a homofobia nos mais diversos locais do país. Tolerância e Respeito.

Isso é um pouco de cultura portovelhense, região norte, do boto que correndo no sangue, até o mapinguari que vigia a floresta, isso é um pouquinho do meu povo, que é indio, que é béra mais não é bobo. Tá na hora de começar a respeita os da beira. 

   


Nenhum comentário:

Postar um comentário